• Jaqueline Chile

Crowdfunding na carreira artística: fazer ou não fazer?

O que você vai levar dessa leitura:

- O que é crowdfunding

- Como funciona uma campanha de crowdfunding

- Crowdfunding como alternativa

- Plataformas de crowdfunding











Na cabeça de muita gente ainda é tabu falar sobre crowdfunding para angariar fundos e colocar em prática aquela montagem de espetáculo, gravação de um CD, materiais para a produção de peças plásticas etc etc etc. Na área artística é comum não entender muito bem como funciona esse tipo de financiamento — vamos tentar sanar esse problema. Então, vamos falar sobre crowdfunding na carreira artística!


Em primeiro lugar, você pode estar se perguntando “o que é crowdfunding?”. Crowdfunding é um termo recente, criado em 2006, para designar uma troca da seguinte maneira: você tem o projeto e quer colocá-lo em prática e algumas peças querem investir no seu projeto. Logo, essas pessoas aplicam alguma quantia financeira naquilo que você quer fazer, seja isto feito em pequena ou grande escala. Você também pode encontrar o termo “financiamento coletivo” no lugar de “crowdfunding”, é exatamente a mesma coisa.


Um exemplo: João tem um grupo de performance e desenvolveu uma intervenção com o tema sustentabilidade. Infelizmente, o grupo de João não possui verba em caixa o suficiente para engatilhar a circulação e cobrir os gastos da apresentação toda. João tomou a iniciativa de crowdfunding, onde em alguma plataforma online ele vai falar sobre o seu projeto de maneira convincente e tentar angariar os fundos necessários para a sua execução.


Capisci?


Essa prática não é usada somente para causas da área artística, mas também em outras causas, como para levantar fundos à ONGs, novos negócios, casos médicos ou na literatura. Apesar de ser um meio que não garante o alcance do objetivo final em dinheiro de prontidão, é com certeza uma alternativa quando pensamos em artistas, grupos ou novos coletivos que vêm surgindo por aí e precisam do incentivo para executarem seus trabalhos.


O crowdfunding depende absolutamente da sua divulgação! Ao optar por uma campanha de crowdfunding para produzir sua peça de teatro, por exemplo, tenha em mente que além de especificar tim tim por tim tim na plataforma escolhida, pois é muito importante que as pessoas entendam para onde vai a grana que elas estão depositando, você vai precisar caprichar na divulgação para que cada vez mais pessoas vejam o seu objetivo, se sintam envolvidas e queiram ajudar! Esqueça a “vergonha” em casa e vista a carapuça da coragem para ir no “boca à boca” com TODAS as pessoas que você conhece. Sim, isso vale para aquela galera toda do facebook que você nem tem tanto contato, amigos, colegas de profissão, o pessoal do seu instagram, parentes próximos e distantes — não descarte nenhuma possibilidade!


E mais um ponto muito positivo que advém dessa divulgação toda: mais pessoas irão conhecer o seu trabalho/ofício/objetivo e saber o seu nome ou o nome do seu grupo. Com certeza você terá um feedback do público, para saber se o que você está querendo construir é relevante ou não. Considere isso algo importante e lembre sempre que podem haver ajustes no meio do caminho.


Mais um ponto importante: pesquisar a plataforma que mais lhe agrada antes de iniciar sua campanha! Veja qual plataforma vai encaixar melhor o seu projeto, analise os públicos e artistas que já passaram por elas e como foram seus desempenhos, as taxas que são cobradas em cima do valor que você irá arrecadar e as modalidades de campanha que cada uma oferece. Pergunte aos seus colegas de trabalho que já tenham feito alguma campanha de crowdfunding também, nada como alguém que já tenha vivido essa experiência para te dar bons conselhos.


Separei aqui alguns exemplos de plataformas de crowdfunding:

Catarse https://www.catarse.me/

Queremos! https://www.queremos.com.br/home

Benfeitoria https://benfeitoria.com/

Juntos com você http://juntos.com.vc/pt/projects

Vakinha https://www.vakinha.com.br/


Neles, você consegue, facilmente, encontrar projetos por categorias — ‘artes’ é uma delas! E claro, analisar se o seu também se encaixa nas condições desse tipo de financiamento.


Muita gente aposta em recompensas ao longo de suas campanhas. Por exemplo: “Se você depositar 50 reais, ganha um adesivo da nossa marcar. Se você depositar 70 reais, ganha uma camiseta” e por aí vai… O criador pode soltar a criatividade com mimos agradáveis àqueles que vão te dar esse help. É um jeito de conquistar o carinho das pessoas e garantir seriedade e compromisso.


Raimundos, o duo Anavitória, Tiago Iorc e o Grupo Folias de teatro (SP), são exemplos de artistas que se beneficiaram com campanhas de crowdfunding para a execução de seus projetos. Ah! E mesmo que você, artista, não tenha um projeto novo para colocar em uma plataforma, aconselho entrar e passear pelos projetos de artes que estão circulando, conhecer quem são seus colegas de trabalho pode ser uma ferramenta que te ajude a completar o que você faz. Vai que, também, você encontra algum projeto que queira apostar uma graninha não é mesmo?


Consideramos que essa seja uma alternativa prática, porém que exige dedicação e empenho como qualquer outra. O resultado pode ser satisfatório e se você mantiver a organização em dia vai conseguir colocar em prática o sonhado objetivo, mostrando ao mundo que faz valer a pena o dinheiro de todos os que te apoiaram. Estude a hipótese, escreva um texto detalhado, convincente e bem feito sobre o seu objetivo com a campanha e dê as caras! Não é problema, nem tabu, apenas uma maneira alternativa de financiar seu negócio artístico.

1 visualização
  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle

Diga oi!

email g2@g2cultura.com.br

ligue  ou mande whatsapp

(11) 9 4312 6468